Skip to content
November 30, 2010 / vitorcaldi

Entregando o jogo, no futebol e na política

Comentando dois assuntos que estamparam as páginas dos jornais, nos cadernos de esportes e política:

***

Nos últimos dias só o que se fala no meio jornalísitco é sobre alguns times terem supostumante “entregado” o jogo para prejudicar o rival. Entregado é uma palavra um tanto quanto forte, mas não há dúvidas de que São Paulo e Palmeiras facilitaram a vida do Fluminense. Jornalista esportivos que caminham para o ostracismo, como o Juca Kfouri, berrou em plenos pulmões no seu blog e na sua coluna da Folha contra isso. Parece que ele esqueceu que o seu time fez o mesmo ano passado, contra o Flamengo. Alguém se esqueceu do penalti em que o goleiro Felipe ficou parado no meio do gol e, no dia seguinte, da capa do jornal “Fiel” com a manchete Doce Derrota? Pior que isso, parece que esse senhor só assistiu o jogo do Palmeiras x Fluminense, tão preocupado em resgatar a ética do futebol no seu blog, que esqueceu de ver o jogo Corinthians x Vasco, onde os jogadores do time carioca andaram em campo. Foi algo tão escancarado, ou mais, do que Palmeiras x Fluminense.

Eu, como torcedor palmeirense, estava óbviamente torcendo para o Fluminense vencer, mas não para o Palmeiras entregar. O Fluminense tem mais time que o Palmeiras e venceria o confronto sem dificuldades. Não acho nenhum absurdo o que o Palmeiras fez. Cobrar VONTADE de um time que não disputa mais nada, e apenas 4 dias depois de uma vexatória derrota para o Goiás, é só na cabeça de jornalista corinthiano que vai ficar com chororô mesmo. Por qual motivo os jogadores do Palmeiras iriam se matar em campo, meter o pé em dividida, etc? Para ajudar o Corinthians? O Corinthians perdeu o título (se perder mesmo, surpresas acontecem), ao perder para o Atl-GO em casa, ao empatar com o Vitória na hora do “vamo vê”. Reclamar que outro time não o favoreceu é muito para minha cabeça, ainda mais vindo de um “jornalista” tão “respeitado”.

Esse história de gente querendo entregar o jogo, nos leva ao segundo assunto polêmico da semana…

***

O site Wikileaks vazou uma série de documentos e cartas que mostram a linha de pensamento da diplomacia americana, que atua mais como uma organização secreta de espiões. O documento aponta o que pensam os EUA sobre diversos líderos do mundo, como por exemplo, acusando Chavez de ser “louco”, o ditador norte-coreano de ser um velho fraco física e psicologicamente, e pedindo um exame sobre a saúde mental da presidente Cristina Kirchner.

Os documentos também vazaram informações da visão dos EUA sobre o Brasil, e mostraram que, na nossa política externa, também tem gente querendo entregar o jogo.

O nosso ministro da defesa, Nelson Jobim, é visto pelos EUA, de acordo com os documentos, como um dos líderis “mais confiáveis” do Brasil. Tal elogio vindos doa EUA não pode ser coisa boa.

Na folha de São Paulo de hoje, saiu a seguinte notícia:

Num dos telegramas, de 25 de janeiro de 2008, o então embaixador dos EUA em Brasília, Clifford Sobel, relata aos seus superiores como havia sido um almoço mantido dias antes com Nelson Jobim. Nesse encontro, o ministro brasileiro contribuiu para reforçar a imagem negativa do Itamaraty perante os norte-americanos.

O trabalho de Jobim para desmoralizar a política externa brasileira não para por aí:

Segundo o relato produzido por Clifford Sobel, “Jobim disse que Guimarães “odeia os EUA” e trabalha para criar problemas na relação [entre os dois países].”

O Guimarães citado no texto é Samuel Pinheiro Guimarães, secretário geral do Ministério das Relações Exteriores.

E para terminar, ainda na edição da Folha, Jobim é apontado pelos documentos como sendo o informante de um tumor que Evo Morales tem na cabeça.

Diplomatas dos EUA relatam terem ouvido do ministro da Defesa, Nelson Jobim, que o presidente da Bolívia, Evo Morales, sofre de um “grave tumor” na cabeça. Esse despacho confidencial é de 22 de janeiro de 2009.

Lula teria oferecido à Morales um tratamento em um hospital de São Paulo, e o nosso ministro da defesa passou essa valiosa informação aos embaixadores dos EUA, que têm só um “pouquinho” de interesse no estado de saúde do presidente boliviano.

Jobim já foi apontado para continuar no cargo e, sinceramente, não é o perfil de Lula, e provavelmente nem o de Dilma, mudar essa decisão política de acordo com as notícias, contudo é importante abrir o olho e ver quem está interessado em entregar o jogo do nosso lado. Assim como um jogador que se vende para entregar o jogo, visando só seus próprios interesses, Nelson Jobim, ex-ministro de FHC e amigo do PSDB, está atrapalhando o time.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: